[FearTWD Q&A] – Alycia Debnam-Carey em porque Alicia decidiu ir com Morgan em vez de conseguir sua liberdade.
Postagem por: Nalígia Moura

Alycia Debnam-Carey que interpreta Alicia Clark em Fear The Walking Dead, fala sobre seu zombie favorito, relacionamento de Alicia e Strand e porque ela gosta da narrativa desta temporada.

Q: Como foi passar tanto da temporada separada de tantos colegas de elenco?
A: É estranho no fato de que você não vê as mesmas pessoas no set todos os dias e você sente que tem histórias isoladas sobre as quais talvez não saiba muito. Mas, ao mesmo tempo, é bem legal do ponto de vista da história, porque o que eu gostei nessa temporada foi que eles agruparam personagens específicos, o que significa que poderíamos explorar a dinâmica um-a-um mais profundamente e gosto mais disso. Acho que isso nos dá mais tempo, especialmente em uma série que é tão cheia de ação, que é tão dominada por montagens e dublês e um tipo de enredo de grande ação — isso permite que os momentos do personagem se destaque. Então, quanto mais focamos em personagens individuais dentro de um número menor, eu simplesmente sinto que isso nos dá a chance de explorar melhor a dinâmica, de obter mais dos personagens nessa situação.

Q: Qual estado mental de Alicia no começo do episódio 7?
A: Bem, Alicia está desapontada não apenas com a forma como o relacionamento com Strand foi, mas também com o plano que ele propôs agora mudou e a deixou um pouco vulnerável e despreparada. Acho que para ela, neste momento, é apenas sobre se ela está pronta novamente e se esforça para ficar por cima. Acho que ela tende a permitir que outras pessoas governem a situação e confiar que essas pessoas em particular em sua volta seguirão adiante com seus planos. E, você sabe, a cada temporada que passa, ela está se tornando mais autônoma e mais astuta por conta própria, e acho que este episódio é outro exemplo de como ela é incrivelmente capaz quando está sozinha e se trata apenas de garantir que ela e Charlie estão preparadas da melhor maneira possível para perseguir o que quer que aconteça a seguir — seja para sair, seja para ficar e tentar lidar com situação. Mas acho que se trata de se proteger da melhor maneira possível.

Q: Por que ela decide responder a Strand depois de ignorá-lo por tanto tempo?
A: Quero dizer, acho que Alicia conhece Strand provavelmente melhor que todos, tirando talvez Daniel. Mas ela sabe que, embora sua manipulação e suas formas de barganha possam enganar, eles também fazem parte de quem ele é. E o fato de que ela sabe disso sobre ele a informa que ela pode potencialmente usar isso a seu favor também. Ele mostrou suas verdadeiras cores para Alicia e ela finalmente entende que ele é um vigarista, então ela sabe no que está se metendo sempre que ele apresenta certas situações. E então, se há algo que vale a pena negociar, ela não vai dizer “não” abertamente. Portanto, com Strand, há sempre uma possibilidade de um “e se?” questionar coisas que Alicia é inteligente o suficiente para não recusar. Acho que nessa situação em particular, enquanto ela ainda está irritada com o fato de que ele meio que a traiu, ela está disposta a deixar isso de lado para ver o que ele tem a oferecer.

Q: Alicia diz que está ajudando Strand porque possivelmente quer se unir às pessoas que levaram Dakota. É esse o verdadeiro motivo dela ou é por causa do que você acabou de dizer sobre Strand e sempre haver um ar de possibilidade com ele?
A: Bem, também tem isso. Eu acho que, se a anterior era a resposta mais geral, essa é a mais específica, então esta é a resposta mais específica de que ela quer usar o que puder a seu favor também. Strand não vai ser tão específico sobre seus planos. Ele não vai deixá-la saber o que realmente está acontecendo. Ela vai resolver o problema com as próprias mãos, então, se isso for encontrar pessoas que possam ajudá-la, ela vai fazer isso.

Q: Como foi filmar o ataque no celeiro? Essa cena parecia incrivelmente intensa.
A: Isso foi legal. Foi uma noite muito longa. Sempre que temos alguma coreografia de luta, é sempre divertido interpretar e fazer, e nossa equipe de dublês é incrível. Nós montamos e fazemos a coreografia bem rápido porque temos que entrar bem rápido, então é sempre como uma dança em certo sentido. É muito divertido quando você consegue realmente fazer. A configuração de toda a casa é muito diferente de [qualquer coisa] que vimos no show, e eu achei muito legal explorar esse momento neste mundo.
Foi também, na minha opinião, os melhores zumbis que ja vimos. Eu simplesmente amei como eles eram macabros e fantásticos. Isso me lembrou algo mais de conto de fadas do que nosso típico gênero zumbi. Achei que era um novo visual muito bom. Para ter algo tão diferente da 6ª temporada e para que eles sejam meus favoritos — quando digo isso, não digo levianamente. Eles eram meus favoritos porque eles… me lembravam de algo mais parecido com o O Labirinto do Fauno ou fantásticos como bestas gregas… E os efeitos especiais que criam esses looks, é apenas uma verdadeira conquista. Quero dizer, o trabalho que eles envolvem — alguns tinham escamas de crocodilo e cada um deles tinham olhos diferentes. Havia olhos de cabra e olhos de gato. Achei que era uma ideia tão legal, interessante e diferente. Eu amei. E então as silhuetas pareciam tão diferentes porque tinham chifres e quase parecia mais diabólico.

Q: Por que Alicia finalmente decide ir para o lugar seguro de Morgan com Dakota, em vez de entregar Dakota e ganhar sua própria liberdade?
A: É a ideia de que existe um ciclo para Alicia e dor e raiva, e, se você fizer algo mal por alguém, essa dor que eles podem sentir só vai piorar e se tornar mais dor no futuro e, potencialmente, voltar e te machucar — e também que não vai mudar nada combatendo fogo com fogo, essencialmente. Para Alicia, uma coisa que amo nela como personagem é que ela tem mais compaixão e mais otimismo, eu acho, do que muitos dos outros personagens, até [mais] do que sua mãe. Acho que a mãe dela era um pouco mais crua e um pouco mais implacável.
Alicia está pronta para tentar e promover um resultado melhor e tentar alcançar algo que seja melhor do que paramos, e eu amo isso nela. E eu acho que é uma das poucas coisas que vimos que é inata nela como personagem, em comparação com o mundo ao seu redor também. Ela ainda mantém isso, apesar de tudo. E então ela escolheu aprender uma lição sobre “nós não queremos criar monstros” e não há nenhuma maneira real de sair disso, a menos que tentemos ser compassivos um com o outro — Acho que há uma linha que, no final das contas, está fazendo dela uma líder melhor e uma sobrevivente melhor, estranhamente.

Q: Você acha que é verdade, como diz Strand, que Dakota respeita Alicia e confia nela?
A: Eu não acho que seja uma declaração que ela esteja particularmente segurando. Acho que ela pode estar ciente de que pode ter uma certa lealdade com um adolescente mais jovem porque ela mesma estava meio que nessa posição quando o apocalipse realmente começou. E nós vimos isso com Charlie também — existe uma espécie de irmandade nessas mulheres mais jovens, nessas garotas mais novas, onde um vínculo é muito importante. Mas, quero dizer, ela também é cautelosa.
Alicia não tem muitas pessoas confiáveis, eu acho. Alguém me perguntou recentemente em um painel: “Em quem Alicia mais confia?” e eu tipo, “Confiança é uma palavra inconstante neste apocalipse!” Então ela sempre vai ter cuidado ao seguir em frente, e eu acho que ela não vai colocar Dakota sob sua proteção, mas talvez ela possa ser influente e causar uma boa impressão nela. Acho que talvez seja por isso que no final deste episódio a vemos estender um ramo de oliveira, esperando que esta seja a escolha certa, que você é quem diz ser e que existe uma bondade e talvez possamos escavar um otimismo e uma compaixão aqui.

Q: Você pode descrever a evolução do relacionamento de Alicia com Strand?
A: É uma relação de personagem muito especial para mim, obviamente porque mantém [viva] a memória de um grupo de personagens do qual não sobraram muitos. Isso conecta aquela velha família a esta nova família e, apesar de todas as manipulações de Strand, características do vigarista e sua astúcia, ela sabe que, em última análise, eles compartilham muita história agora e compartilham muita dor e compartilham muito crescimento e sobrevivência. Isso os une, e eu não acho que isso seja algo que vai ser tão fácil de jogar fora. Acho que agora eles estão gratos por estarem nisso juntos, em certo sentido, e acho que sempre estarão.
E a dinâmica realmente mudou de Madison e Strand sendo camaradas para agora Strand sendo mais um mentor para Alicia e agora eles meio que se tornando uma família e iguais. É uma dinâmica realmente interessante e verdadeira. É revelado assistindo a série, e eu acho que é muito especial quando você faz algo assim.

Fear The Walking Dead todas as segundas no AMC Brasil.

Tradução e Adaptação: Carol Prado – ADCBR.

Fonte: