Em comemoração ao aniversário da Alycia de 25 anos, que será dia 20 de Julho, nós do ADCBR pensamos em algo diferente do que estamos acostumados a fazer, e queremos ver todos participando!

O projeto se chama Alycia25DaysBdayChallenge. E como participar? É simples.

A partir do dia 26 de Junho até dia 20 de Julho, postaremos desafios diários que serão postados no Twitter em forma de thread. A intenção desse projeto, além de mostrar nosso amor e admiração pela Alycia e seus respectivos trabalhos, é de interação entre o fandom brasileiro dela.

Gostou da ideia e quer participar? Basta salvar a imagem abaixo (ou em nosso twitter), e a partir do dia marcado começaremos.

Quem for participar, nos marquem em todas as fotos/gifs/vídeos diários do desafio que iremos dá RT em todos. O desafio também pode ser feito no Instagram, basta postar a imagem e nos marcar lá também.

 

Nós do ADCBR contamos com vocês!

 

 

 

Alycia Debnam-Carey, que interpreta Alicia em Fear the Walking Dead da AMC, fala sobre a destruição e a perda que antecederam a final da quarta temporada e para onde sua personagem vai de lá.

P: Como você gostou de contar a história através de flashbacks e mexendo com o tempo?

R: Brincar com o tempo definitivamente tem sido um dos elementos mais divertidos desta temporada… você desenvolve o personagem de duas maneiras diferentes e fica pulando entre o presente e o passado. Ao mesmo tempo, também é muito difícil. Você tem que ficar por dentro de como tornar o personagem diferente… Pareceu muito diferente nesta temporada e nos deu um tipo diferente de profundidade. Para interpretar a história em termos de Madison e Nick… tem sido uma ferramenta muito eficaz. Isso torna ainda mais doloroso como tudo acaba.

P: Quão diferente é a Alicia que estamos vendo agora daquela que conhecemos na primeira temporada?

R: Ela é uma pessoa completamente diferente. Eu acho que ela teve um dos desenvolvimentos mais extremos de todos os personagens. Se você olhar para quem ela era na primeira temporada, ela era apenas uma adolescente que tentava sair da cidade. Você a vê agora e ela é uma concha… essa pessoa. No fundo, acho que ela ainda tem todas essas qualidades, mas perdeu muito da humanidade, da moral, e da ética. Ela está muito brutal e muito destruída depois de tudo o que aconteceu com ela. Tem sido muito legal para mim levá-la para aquele lugar – e isso não termina por aqui. Ela está se desenvolvendo mais conforme avançamos.

P: A primeira metade desta temporada foi levando ao final da metade da temporada. Como foi finalmente chegar a isso? Quais foram alguns dos detalhes práticos, bem como o trabalho emocional, que fez parte de um episódio tão grande?

R: Foi o maior episódio para filmar. Todos nós sabíamos que é isso que estávamos esperando com a morte de Madison e o fim dos flashbacks com o Nick. Isso significou que este foi realmente o fim de uma história e o começo de outro capítulo. Foi o empurrão final para o tornarmos especial e honrar esses personagens e também dizer adeus a eles ao mesmo tempo. Foi muito difícil. Acho que todos sentimos a mesma pressão levando à isto. De certa forma, houve uma sensação de alívio quando terminamos, mas foram todos aqueles meses de emoções e corações partidos em um episódio. Eu acho que pode ser o meu episódio favorito de todos que filmamos. É uma homenagem tão legal e linda para esses personagens. Houve tantos elementos diferentes também. Tivemos efeitos práticos em termos de armas de fogo e treinamento de armas e sequências de dublês. Ao mesmo tempo, houve cenas incrivelmente emocionantes, como a com todos ao redor da fogueira, lembrando o legado de Madison, e a cena em que Morgan está tentando convencer Alicia a não matar Naomi. É muita coisa. Espero que tenhamos feito justiça.

P: Quais são seus pensamentos sobre o lema recorrente de Madison de que “ninguém se vai até que eles se vão”? E como isso permeia toda a temporada, até o final?

R: O lema de Madison continua a aparecer através do desenvolvimento de Alicia. Também ressoa com ela quando ela está naquele impasse com Morgan. Ele diz para ela: “Eu sei que você ainda está aí. Eu vejo sua mãe em você.” Isso é um lembrete para ela do que sua mãe realmente representava. Eu não acho que Alicia pode manter essa crença desde a morte de sua mãe. Eu acho que ela decidiu que não é verdade e que as pessoas precisam pagar por suas ações, mas ela chega a um ponto em que alguém reconhece nela que ainda existe algo bom e que ela pode ser salva mesmo que tudo esteja desmoronando ao seu redor.

P: Madison fez de sua missão preservar a humanidade de seus filhos. Isso é mesmo possível?

R: Eu acho que depende do que você define como humanidade. Existe uma maneira de preservar a moral e a ética, mas acho que suas prioridades só mudam com o tempo. O que conhecemos como moral e ética agora pode não pertencer ao que a moral e a ética são no apocalipse. É o mesmo com qualquer período de tempo na história. É diferente em termos de contexto e circunstâncias. Eu acho que elementos de amor, esperança e perdão ainda existem e são verdadeiros – é por isso que qualquer um dos nossos personagens ainda existem – mas é definitivamente desafiador neste ambiente.

P: À este ponto, Alicia perdeu toda a sua família – pelo menos biologicamente. Ela pode encontrar um sentimento de pertencimento em Luciana e Strand? E quanto a Charlie e June – ou Naomi/Laura?

R: [Risos] É, eu nunca sei como chamá-la!… Embora ela possa ter sido afastada da completa destruição e vingança, Alicia definitivamente não se sente conectada a ninguém. Eu não acho que ela queira estar perto de ninguém… uma parte dela percebe o efeito destrutivo que ela tem em outras pessoas e ela não sabe como lidar com isso. Ela está em um ponto onde ela realmente não gosta de si mesma, o que eu acho que é a coisa mais triste de todas… Estar neste novo grupo de pessoas que ela tentou prejudicar e estar cercada por pessoas que afetaram diretamente sua vida, como Charlie – ela está querendo sair. É um outro nível de perda e tristeza.

 

Fear the Walking Dead retorna com a outra metade da 4ª temporada dia 12 de Agosto.

Tradução e Adaptação, Marina Brancher – ADCBR.

Fonte

Ontem (23/04) Alycia Debnam-Carey, compareceu à premiere do filme Avengers: Infinity War, em Los Angeles. A atriz foi acompanhada de sua amiga Laura Harrier.

Confiram as fotos HQ clicando nas miniaturas abaixo:

1~2.jpg
2~2.jpg
3~2.jpg
4~2.jpg

Confiram também vídeo da atriz no carpet do evento:

Fotos: Far Far Away Site

A medida que nos preparamos para o lançamento de Fear the Walking Dead, a edição de hoje da nossa série de artigos CarterMatt Unsung Heroes é sobre a jornada de uma heroína e alguém que se viu em meio a tremendo perigo e sofrimento. Alicia Clark, interpretada por Alycia Debnam-Carey, começou a série como alguém completamente despreparada para os perigos que a rodeavam no apocalipse zumbi; agora, ela tem a capacidade de ajudar outras pessoas que estão sofrendo e de tomar decisões difíceis quando as situações surgem.

Como a série permitiu que esse personagem tivesse tanta profundidade ao longo do tempo? Muito disso começa como o olhar para onde sua história começou – ao começar a história de Fear the Walking Dead logo após o inicio do apocalipse, tivemos a chance de mergulhar na humanidade da Alicia. Ela era uma jovem mulher com suas próprias questões de identidade e propósito para descobrir, e apostar na vida ou morte em cima disso era uma receita para o desastre. Vimos seu medo, sua insegurança e também um pouco da sua capacidade para cometer erros. Ela fez várias, seja em termos de confiança ou sobrevivência.

E é ai que o próximo componente chave da evolução de Alicia Clark entra em cena: sua capacidade de aprender. Apesar de seus defeitos (como todos os grandes heróis), sua maior força é que ela nunca ignora o conhecimento. Ela aprendeu com suas experiências, e ela aprendeu com sua mãe Madison, que passou por sua quota de dor muito antes do inicio do apocalipse. Ela ficou mais forte, e foi capaz de usar um pouco de sua intuição natural mais no campo. Mesmo no meio da morte, ela tinha alguém para quem ela pudesse olhar. Ela já entendia empatia e cuidava de outras pessoas devido ao seu relacionamento com Nick, mas passar pelo apocalipse ajudou a entender melhor em uma escala mais ampla. No rancho Broke
Jaw, Alicia viu exemplos de má liderança e caos, mas ela também começou a entender a boa liderança, oferecendo esperança e encontrando soluções rápidas para problemas que não eram egoístas. Enquanto Alicia ainda se esforçava ocasionalmente para aqueles momentos de normalidade, ela percebeu que este não era um mundo normal. Ela mostrou que pode tomar as decisões certas e superar as perdas. É por isso que ela ainda esta de pé e o crescimento de seu personagem é tão verossímil e natural para esse mundo que você não pode deixar de torcer por ela.
O desempenho de Debnam-Carey também traz a Alicia para novos patamares, já que a cada temporada parece que ela descobre algo mais sobre essa personagem e contribui para o coquetel de experiências de vida que ela tem. Ela pode canalizar sua dor lindamente, mas também ser forte e entrar no modo assassina de zombi, se necessário. Se você já precisou de um microcosmo da evolução da personagem, tudo o que você precisa fazer é olhar para a imagem abaixo da próxima temporada.

Você pode imaginar esta Alicia existindo na primeira temporada de Fear the Walking Dead? é difícil. É um sinal de seu heroísmo, seu crescimento e sua força.

 

O que você acha que pode estar vindo para Alicia Clark nessa nova temporada de Fear the Walking Dead? e você está tão impressionado quanto nós com o crescimento da personagem?

A quarta temporada de Fear The Walking Dead estreia neste Domingo, 15 de Abril, na AMC.

Tradução e Adaptação, Cláudia Facci – ADCBR.

Fonte:

Alycia Debnam-Carey de Fear The Walking dead ofereceu mais sugestões que a quarta temporada vai incluir “saltos no tempo”.  Há especulações que a linha do tempo para os novos episódios vão se entrelaçar com a série parente The Walking dead. Isso explica como Lennie James pode fazer um “salto no tempo” entre dois shows como Morgan Jones.

Alycia falou ao Digital spy em uma recente visita ao set em Austin, Texas, que terá definitivamente linhas de tempo alternadas nos novos episódios, dando a ela chances de explorar diferentes lados de sua personagem Alicia.

“Eu não posso ir muito afundo mas há elementos excitantes nessa temporada, em particular na primeira parte, onde nós brincamos muito com o tempo, então verão diferentes pontos de quem Alicia é como personagem, e nesse tempo eles estarão bastante diferentes, eles filmaram em partes muitos diferentes umas das outras e todos eles parecem diferentes.”  Ela explica.

“Isso é muito animador. É algo que nunca vi sendo tentado em qualquer um dos universos de The Walking dead muito menos com qualquer outro TV show no momento. Há também um monte de mudanças dramáticas acontecendo para ela, ela está crescendo e aprendendo. Eu acho que vimos ela se tornar algo como uma badass apocalíptica, ela é capaz de se aguentar muito bem agora mas esses passos irão subir para outro nível.”

Alycia não entrará em detalhes específicos sobre as mudanças que os telespectadores vão ver na Alicia, mas deu uma pista criativa sobre isso.

“Desde o início desse show eu tenho sempre o papel da jovem adolescente,” Ela diz. “Eu acredito que você pode muito com isso se você por pra fora, dizer o que você quer, perguntar por coisas, pedir materiais diferentes, ser investida e ser membro ativo desse show. Eu sempre fui muito ativa em perguntar o que eu queria e o que eu gosto, eles escutam e são muito receptivos.”

“Minha coisa favorita sobre os ‘saltos no tempo’ no show é que você tem uma mudança específica que pode acontecer com seu personagem. Uma das coisas mais difíceis sobre esse show é que se move devagar em termos de minutos, é sempre sobre o detalhe. Com o salto no tempo é divertido porque você tem uma específica mudança, quer seja partido dos escritores ou de uma perspectiva de um  personagem que você tem licença pra fazer, mesmo se você só quer cortar o cabelo.”

 

Fear the Walking dead retorna com sua nova temporada dia 15 de Abril, na AMC.

Tradução e Adaptação, Larissa Ricardo – ADCBR.

Fonte:

 

 

Durante a coletiva na WonderCon desse ano, o site ComicBook fez uma pequena entrevista com uma parte do elenco de Fear The Walking Dead. Confira a entrevista traduzida logo abaixo:

Alguns anos no apocalipses será o suficiente para transformar a Alicia Clark em uma ‘fodona’ como nenhuma outra quando a quarta temporada de Fear the Walking Dead rolar.

Apesar de grande parte da campanha de marketing de Fear the Walking Dead ser centrada em torno de novos membros do elenco e um crossover com The Walking Dead, Alycia Debnam-Carey ficou entusiasmada quando ela garantiu a ComicBook.com que sua personagem esta evoluindo. E não para aí, no entanto. Alicia Clark terá um papel ainda mais eminente do que nas temporadas anteriores, se a carga de trabalho da Debnam-Carey for alguma indicação.

“Você não faz a menor idéia, do quão ‘fodona’ Alicia Clark vai ser”, disse Debnam-Carey. “A jornada da Alicia nessa temporada é dura”, acrescentou a atriz que faz a Madison Clark, Kim Dickens, sentada ao lado da atriz que interpreta a filha de sua personagem.

“Vamos apenas dizer que ela esta exausta e um pouco machucada”, acrescentou o ator Colman Domingo, que interpreta o Victor Strand. “Os machucados que tive nos últimos dois meses, eu estou apenas tomando banho no gel de arnica todos os dias”, disse Debnam-Carey, com uma risada. “Definitivamente foi uma gravação mais brutal pra mim nesta temporada, mas também, estou trabalhando muito mais, e há muito mais sequência de ação, também estamos filmando muito drama! É bom. Um elemento disso foi levantado. Agora temos muito mais experiência, mesmo com as armas que estamos carregando.”

Colman Domingo promete que haverá um “salto no tempo” rumo à quarta temporada, o que significa que esses personagens são significativamente mais profundos em sua jornada apocalíptica na próxima vez que o público os ver.

“Mesmo na primeira semana em que estávamos no set, tínhamos que falar com o nosso novo aderecista Colin [Thurston], mas também com o nosso novo armeiro e com a maneira como ele nos mostrava quais armas tínhamos, o que eram. Isso foi enfrentado à sua própria maneira, porque não tínhamos muito disso para lidar. Nós tivemos, mas não foi na mesma medida que a outra série tinha. De repente, éramos muito parte desse mundo” Eles estão muito mais preparados para as ameaças agora do que nunca. “Antes era mais desagradável”, disse Domingo. “Um pouco mais treinado.”

Fear the Walking Dead vai estrear sua quarta temporada depois que The Walking Dead terminar sua oitava, às 10h da noite, no dia 15 de Abril, na AMC.

Tradução e Adaptação, Cláudia Facci – ADCBR.

Fonte