Entrevista para o Today online
Postagem por: Nalígia Moura
O gênero zumbi parece não correr risco de desaparecer, e a atriz australiana Alycia Debnam-Carey acha que a razão disso é o que está acontecendo no mundo.

“Estou um pouco surpresa que essa loucura por zumbis tenha durado tanto tempo, pra ser sincera. Mas acho que isso tem ligação com o que vemos na mídia o tempo todo…o ambiente, engenharia genética, pobreza, doenças como Ebola. Eu acho que tudo faz parte da nossa consciência coletiva, e isso está refletido em filmes e na TV,” disse ela. “Eu acho que estamos percebendo nosso lugar no universo, que somos bastante frágeis, e que quanto mais a ciência e a tecnologia tomam a frente no nosso desenvolvimento enquanto espécie, mais fácil fica para que tudo seja tirado de nós.”
Debnam-Carey, 23 anos, está atualmente interpretando Alicia Clark na série Fear the Walking Dead, da AMC, um drama de terror americano que é spin-off e predecessor para o super popular The Walking Dead, do mesmo canal. Sua personagem é a filha adolescente e dedicada da conselheira escolar Madison Clark, interpretada por Kim Dickens.
Inicialmente, o gênero de terror não era o favorito da atriz. “Eu não sou uma pessoa que curte terror, então estava um pouco apreensiva para ler o roteiro de Fear. Mas quando o li, eu o achei tão envolvente e bem escrito,” ela admitiu.
Depois que ela começou a assistir The Walking Dead, ela “rapidamente começou a gostar”. “Não tem tanto a ver com zumbis como imaginei que seria. É sobre seres humanos e o que eles estão dispostos a fazer um ao outro para sobreviver. A manipulação, o equilíbrio de poder, e as lutas…isso é que é interessante,” ela compartilhou.
O show não deixa somente o público curioso, o elenco também é mantido no escuro. Debnam-Carey diz que entre episódios: “É sempre o caso de trabalhar uma semana de cada vez.”
“Então descobrimos talvez com cinco dias de antecedência o que vai acontecer no próximo episódio…E enquanto filmamos, não sabemos de fato o desfecho da temporada. Você conversa com pessoas no set, especula um pouco! Mas todo mundo mantém segredo sobre os detalhes.”

Pergunta: Sem dar nenhum spoiler, vai haver algum momento ou evento especialmente sombrio nessa metade da temporada? Talvez um dos personagens principais se tornar um infectado?
Alycia: Sem dar spoilers? Eu não poderia dizer algo assim sem ser um spoiler (risos). O que eu posso dizer é que nossos personagens estão sendo expostos a muito mais nesse mundo novo. Eles estão fraturados e separados, o que significa que há menos segurança. Então, definitivamente, eles estão em perigo de ter muito mais contato com os infectados, e isso é uma ameaça bem maior. Mas você vai ter que assistir para descobrir o que vai acontecer!
Pergunta: Sua personagem foi forçada a crescer muito, muito rápido. Você acha que isso também aconteceu na sua vida real?
Alycia: Eu sempre fui uma criança muito séria, pra ser honesta. Minha mãe sempre costumava dizer que eu era como um homenzinho carrancudo com uma nuvem negra me seguindo, porque eu era tão focada, determinada, e séria! (risos) Acho que eu e minha personagem somos bem diferentes. Também acho que crescemos de forma bem diferente também. Mas sim, acho que crescer foi algo que aconteceu rapidamente pra mim, em termos de começar a trabalhar, e então ter meu trabalho reconhecido tão inesperadamente. Mas, a maioria das vezes, você faz um trabalho e há bastante tempo antes dele ser lançado, e você não sente que algo esteja realmente acontecendo. Estar nessa turnê de imprensa na verdade me ajudou a perceber melhor o impacto do trabalho! Mas não, meu crescimento não teve uma transição tão severa como foi com Alicia.
Pergunta: Sua personagem era uma adolescente na primeira temporada. Você buscou alguma inspiração para interpretá-la?
Alycia: Na verdade não. Eu tinha 21 anos quando começamos, então ser adolescente não era algo muito distante. Na verdade acho bastante difícil interpretar uma adolescente, porque você é o sujeito de muitas características pré-determinadas. Existe um esteriótipo, de certa forma. Sabe, as pessoas já têm essa ideia de que uma adolescente é irritante, ou mal humorada, ou boba, ou talvez respondona… Mas como atriz, você está tentando fazer isso ser mais real. Você quer descobrir a essência da personagem, ao invés do esteriótipo. O que a define? O que ela deseja?

Tradução e Adaptação ADCBR.