Entrevista para o site Teleprograma
Postagem por: Nalígia Moura

Embora ter sido bem sucedida com The 100, não é nada acessível com o que é viver em Fear Thw Walking Dead com seu personagem Alicia Clark. Com apenas 23 anos, Alycia Debnam-Carey já se tornou um ídolo de milhares de fãs e em sua visita a Madrid ela passou uma hora dando autógrafos. A atriz concedeu uma entrevista ao site http://teleprograma.fotogramas.es/. Confiram traduzido logo abaixo:


Ser australiana tem sido um obstáculo para sua aceitação nos Estados Unidos?
De forma alguma, eu diria que é um bônus. A primeira vez que vim à Los Angeles, 5 anos atrás, não fazia muita diferença ser australiana ou não, agora acho que já faz um pouco mais. Sim, eu estava preocupada quando ia pras seleções e tentava não demonstrar, mas pelo contrário, acho que as pessoas gostavam.
Na primeira parte dessa temporada houve muitos testes em terra firme, e ainda fizeram vocês nadarem no escuro na água gelada. Como foi essa loucura?
Nós tivemos que nadar em águas bem geladas, eles queriam nos testar para saber como nadávamos sobre pressão, e estávamos no meio do inverno, sem nenhuma iluminação e muito frio. Em resumo, condições horríveis. Durante as filmagens eu não precisei nadar muito, mas outros atores sim.
Qual a margem pra mudanças desde que você recebe o script até filmar?
No começo da temporada há uma grande reunião onde explicam como tudo vai funcionar, mas os scripts dos episódios geralmente são distribuídos cinco dias antes de começar. Em geral, nós descobrimos coisas novas a cada dia, e não sabemos o que acontece no final da temporada, apenas rumores.
Há muitas séries onde existe uma pessoa chamada “o produtor da morte”, que é responsável por anunciar quem vai morrer. E quanto a vocês, existe essa pessoa? Você tem medo de sua personagem morrer?
Não, e não é como se tivéssemos muitas mortes. E medo, não, isso é parte do nosso trabalho, todos os personagens tem que morrer, e quando você embarca num projeto como esse, você sabe que  tem que viver com a ideia de que seu personagem pode desaparecer a qualquer momento.
Quais as vantagens e desvantagens de participar de uma série global como FTWD?
Bastante apoio de uma grande rede de televisão e um time enorme nos bastidores. E mais do que desvantagens, o que temos é uma enorme pressão para atender às expectativas, e a necessidade de nos diferenciarmos da série original The Walking Dead. Sempre que viajamos mais, e fazemos mais entrevistas, percebo o que tudo isso significa.
Você não pode nos dar um spoiler, mas pode dizer se haverá mais infectados ou novas mortes?
Os personagens estão mais expostos porque o grupo está mas separado do que nunca, mas não posso contar mais nada.
Que outras séries você assiste?
Me disseram que Mr. Robot é legal, e eu estou guardando a última temporada de Game of Thrones que ainda não assisti, e assim que puder vou ver toda de uma vez.
Por você ser a garota jovem e bonita do grupo, há a chance de viver um romance?
O que o público quer de fato é que Alicia encontre conforto. Ela está tentando se encontrar como mulher, buscando seu lugar. Há a possibilidade de viver histórias de amor, mas por enquanto o importante é que ela se encontre.
Você participou de outra série com muitos fãs, The 100. Foi difícil trabalhar em duas séries ao mesmo tempo?
Foi bastante estressante, voar constantemente entre Los Angeles e Vancouver. Foi cansativo, mas divertido porque não há similaridade entre os dois shows.
Você tem outros projetos além de FTWD?
Estou avaliando alguns projetos, e vendo como encaixar na minha agenda, mas por hora estou focada nessa turnê promocional, e estou feliz porque no fim do ano começo a filmar a terceira temporada.

Tradução e Adaptação ADCBR.