Entrevista para o Den Of Geek
Postagem por: Nalígia Moura

Den of Geek falou com Alycia e seu colega de elenco Frank Dilliane sobre Fear The Walking Dead.

A serie derivada de The Walking Dead da AMC, estreia esse mês. Fear The Walking Dead apresenta todos os novos personagens que lidam com o início do surto de zumbis. Situado em Los Angeles, a serie começa com Travis Manawa (Cliff Curtis) e Madison Clark (Kim Dickens), dois pais que têm problemas suficientes com a suas famílias misturadas se dando bem antes da infecção de zumbis se iniciar.

Alycia Debnam-Carey interpreta a filha de Madison, Alicia. E Frank Dillane interpreta seu filho Nick. Nick é um viciado em drogas tentando ficar limpo, ou pelo menos Madison está tentando fazer isso. Alicia é uma boa aluna sobrecarregada com os cuidados com Nick.

Alycia, como você é capaz de estar nas duas series Fear The Walking Dead e The 100?

Alycia Debnam-Carey: Nós elaboramos um cronograma. AMC foram realmente bom sobre isso. Foi tipo, tudo se encaixou muito bem.

Desde que você sabe que The Walking Dead mata um monte de personagens com freqüência, você fica aliviado toda vez que recebe um script e ver que você ainda está nele?

ADC: Será que estamos preocupados em ser morto? Parece que a televisão gosta de matar personagens principais no momento.
FD: Enquanto eu tiver uma boa morte, como adequada Marlon Brando.
ADC: Totalmente. Se você receber uma boa morte, está tudo certo. Eu não estou muito preocupada, nesta fase. Talvez nas próximas temporadas.

Seus personagens representam os dois lados desta família, onde Alicia é a boa menina e Nick é a ovelha negra?

FD: Provavelmente, esteticamente, narração sábia, que poderia ter sido uma idéia. Suponho que somos.
ADC: Irmãos normalmente muitas vezes compensam um ao outro, também. Se um irmão faz algo, o outro vai preencher o papel oposto. Eu achei, pelo menos para o meu irmão e eu na vida real, que parece ser assim. Então sim, eu acho que definitivamente faz esta narrativa dramática. É sempre divertido.

Você se sente como você se estivesse apenas fazendo um drama familiar, ou você está longe o suficiente no que você está lidando com sangue e tripas?

ADC: Não, eu achei que ele é fortemente direcionado ao personagem. Ainda mais do que The Walking Dead na primeira temporada inicial. Você está imersa em um mundo bonito automaticamente. Para nós, uma das alegrias é que nós começamos a explorar esses personagens, e você começa a ficar ligado a eles antes de tudo se desmoronar. Que eu acho que é muita sorte para nós.

Ele fica coberto de sangue muito rápido, no entanto. É muito difícil segurar o estômago quando você está no set?

ADC: É muito teatral no set porque é tão dividido. É muito técnico. Mas, ao mesmo tempo, é muito legal. O trabalho que eles fazem em conjunto é incrível. Greg Nicotero, ele fez todos os efeitos especiais no show. Ele é simplesmente incrível. Mas é, sim. É uma espécie de divertido no set.

Como é que cada um de vocês se conecta ao seu personagem? O que você vê no seu personagem, como eu sei disso, eu sinto isso, eu posso fazer isso?

ADC: Para mim, o que eu realmente originalmente estou ligada ao personagem, as cenas que eu tinha que fazer, algumas das cenas reais na verdade, na serie, eles foram muito nervosos, e ela realmente trouxe este tipo de qualidade rua de LA. Uma verdadeira urbanidade. Talvez isso coincidiu com o tempo, eu estava vivendo em Los Angeles, eu finalmente tinha encontrado os aglomerados e o charme daquela cidade pela primeira vez. E isso me conecta com Alicia de uma forma bastante distinta. Eu acho que eu gostava do nervosismo dela. Há um poder dentro dela que é bastante forte, que eu espero que você começa a ver evoluir.

Algum de vocês tem que aprender a fazer qualquer coisa de forma convincente como empunhar uma pá ou recuar rapidamente para baixo de um leito de rio seco?

FD: Isso é exatamente o que eu tinha que aprender. Eu não dirijo, de modo que era isso. Eu tive que aprender como fazer backup de baixo leito de um rio seco. Olhei tudo bem então, porque eu tinha apenas tem que reverter.

Você estava apavorado?

FD: Houve alguns momentos cabeludos.
ADC: Alicia era mantida no escuro por um bom tempo. Ela tem que aprender uma coisa. Eu não posso dizer ainda. É divertido.

Com a toxicodependência de Nick, você nunca interpretou ele com os sintomas para que possamos pensar que ele está realmente se tornando um zumbi?

FD: É interessante, essa pergunta. Uma menina disse que, para mim, ela viu o piloto e ela disse: “Foi o seu coxear uma homenagem como um zumbi?” Eu não tinha pensado nisso. Acabei de ser atropelado por um carro e pensei que provavelmente iria foder sua perna para fora.

Você responde a este tipo de histórias do fim do mundo?

FD: O mundo está acabando, não se enganem. Ele está chegando ao fim. Isto não pode continuar por muito mais tempo. O capitalismo tem que cair. Tem que cair. Estamos chegando ao pico, acho que em breve, antes de ter que voltar a gostar de humanidade. A humanidade precisa de olhar e ele não foi procurado por tanto tempo. No cinema, olha o que é no momento, Mad Max, Tomorrowland, cada coisa que passou no cinema foi sobre apocalipse.
ADC: É tudo muito relevante para o nosso mundo.
FD: A nossa geração. Tudo o que precisa acontecer é a Mãe Natureza precisar começar derrubar os edifícios.
ADC: É como se, finalmente, a Mãe Natureza vai ter de volta o que pertence a ela.

Filmar em Los Angeles, você se sente como em um mundo novo estranho para você de qualquer maneira, independentemente dos zumbis?

FD: Sim, eu sinto. Eu sinto, com certeza. É apenas muito longe de casa, não é, eu suponho.
ADC: Essa serie realmente meio que me juntou com LA muito mais. Me senti pessoalmente muito mais ligada a ele do que nunca antes. Eu acho que [a serie] encontra este incrível charme, corajoso que eu encontrei em LA. Finalmente. Eu odiava LA quando eu cheguei aqui. Odiava. Agora, eu acho que eu fui bem-vinda por ele, finalmente, quando eu encontrei este encanto bizarro pela cidade. É esta cidade enorme, mas tem este tipo de rachaduras que fazem arrebentar com tantas vidas e histórias. Eu não sei. É muito romântico e artístico de muitas maneiras. As palmeiras, o pôr do sol. Mas, ao mesmo tempo em que o sol é feito de poluição por carros.
FD: As árvores são importados.
ADC: As palmeiras não são daqui, eles não são nativos, mas essa dicotomia que é tão atraente de uma maneira. Eu acho que a serie faz um grande trabalho em encontrar isso. É muito cinematográfica, eu me sinto. Adam Davidson, que fez o piloto e o segundo episódio. Ele capturou tudo tão bem. Ele encontrou todos esses lugares incríveis que você verá como um Angeleno. É uma loucura quando eles bloqueiam enormes cruzamentos ou estradas ou partes do centro. Em seguida, ele está completamente vazio. Isso é um sentimento estranho. Fizemos uma reta domingo após a Comic-Con. Todos nós chegamos às 5 da manhã, e nós fizemos todas essas cenas. Foi apenas vazio. Isso é bizarro para ver, LA, centro da cidade, e se sentir como se fosse a única pessoa lá.

O que vocês gostariam que as pessoas saibam sobre Fear The Walking Dead?

ADC: eu quero que eles façam suas próprias conclusões sobre ele. Eu acho que ele vai vir sob algumas críticas, porque é muito diferente. Mas eu acho que está sozinho, e ele não está tentando ser The Walking Dead, e isso é o que é grande sobre ele.

Quanto é que você se sente com a sua própria serie, embora ele esteja vindo com este nome?

ADC: Eu assisti a uma grande parte do original, também. Para mim, eu nem sequer penso sobre isso, conscientemente em tudo.

Fear the Walking Dead estreia no dia 23 de Agosto, na AMC.

 

Tradução e Adaptação ADCBR