Alycia fala sobre Clexa e seu papel em FTWD
Postagem por: Nalígia Moura

“Eu não esperava que todos ficassem tão animados!”

Essas palavras vieram da atriz Alycia Debnam-Carey quando perguntado pelo site AfterEllen sobre a explosão de emoção quando foi anunciado na San Diego Comic-Con no mês passado que ela estaria retornando para The 100 em sua terceira temporada como a metade de Clexa. O AfterEllen conversou com a atriz, enquanto ela estava no Television Critics Association Summer Press Tour que promovem a nova série AMC, Fear The Walking Dead.

Confiram a entrevista logo abaixo:

“É maravilhoso, porque The 100 tem um pequeno, mas poderoso e apaixonados fãs dedicados e estou muito honrado por fazer parte disso”, disse Alycia. E, apesar de Lexa eventualmente ligar o seu amor, Clarke (Eliza Taylor), antes de sair, Alycia admitiu estar satisfeito que “apesar de Lexa poder ser um pouco mais difícil do que as pessoas, eu realmente gosto dela.”
Também perguntaram a ela sobre seus pensamentos sobre o porquê Clexa ter tido uma ligação tão forte com as fãs lésbicas, bem como todos os outros. “Eu acho que era porque era muito real”, disse a atriz australiana. “Não foi esta grande coisa dramática. Isso foi realmente muito real entre duas pessoas em circunstâncias muito difíceis, mas que partilham papéis semelhantes de liderança”.
A atriz também aprecia o fato de que os escritores de The 100 não fazer um grande negócio de definir qualquer personagem ou seu relacionamento. “A coisa maravilhosa sobre The 100 é não rotular nada porque é um mundo totalmente novo”, disse ela. “Não há nenhuma etiqueta, por isso é tudo o que é, as pessoas gostam de pessoas e o que reflete tão grandemente sobre os fãs, mostrando que essa geração mais jovem está aceitando de ninguém.”

Ela acrescentou que ela estava muito ciente da base de fãs que a série de sucesso da CW tem. “Ele tem um grande grupo de fãs LGBT e isso é libertador”, disse Alycia. “É muito bom e mostra essa inteligência para uma geração jovem e estou feliz de fazer parte de algo assim.”
Será que a atriz notou um aumento de lésbicas a seguindo, uma vez que aconteceu um beijo Clexa? “Sim! Eu absolutamente notei”, disse ela, sorrindo. “Alguém veio até mim e disse: ‘Você é um pouco de um ícone lésbico!” Eu disse,’Eu meio que sou!'”

E enquanto Alycia está claramente feliz com a recepção calorosa por Clexa, ela ainda está se acostumando com a constante atenção na web. “Esse mundo é um pouco esmagador para mim, todo o mundo da mídia social”, ela admitiu. “É uma forma agressiva de mídia social; eles estão lá o tempo todo. [Os fãs] de The 100 são muito apaixonados. Mas, como eu disse, é uma grande coisa para ser parte. Eu tive de repente de ver muito mais [online] e eu me lembro da Eliza dizendo: ‘Você viu isso? Você viu aquilo?’
Como por seu papel em Fear The Walking Dead, que estréia 23 de agosto, a atriz interpreta Alicia Clark (irônico apelido, não acha?), O modelo de aluna/filha adolescente na família nuclear em Los Angeles, onde o apocalipse zumbi esta nas fases iniciais.

A serie não nos diz exatamente onde nós estamos na linha do tempo entre o famoso The Walking Dead, exceto que não há menção de coisas já em erupção no outro lado de os EUA. E ao passo que a nave-mãe da série começou com os personagens regulares empurrado juntos, como eles lutaram contra zumbis, Alycia admite que a série derivada de TWD pode ser um pouco diferente. “É uma queimadura lenta. Isso acontece muito lentamente e você realmente conhece os personagens, peça por peça como eles vêm a um acordo com o que está acontecendo, que eu acho que é realmente bom porque nos configura para realmente entender esses personagens e realmente gostar deles. “Sua personagem na tela, pelo menos nos episódios pré-visualizados por AfterEllen, parece ser heterossexual.
Pedi a ela que descrevesse sua personagem nos primeiros episódios, explicou ela, “medo impulsiona uma grande parte da serie, daí o título. Mas para [Alicia], especialmente, ela começa em um lugar de esperança e ela tem muito a perder, ela tem tudo a perder, e assim que queda com este novo mundo vai ser muito duro e rápido, então ela vai tem que encontrar uma maneira de lidar com essas circunstâncias e se reconciliar consigo mesma como ela vai ter passar por isso.”

Além de conhecer os personagens melhor no início, a atriz acrescentou que na primeira temporada de seis episódios, “os militares e o governo desempenham um papel enorme e de repente é sobre quem você pode realmente confiar e quem você pode ficar. De repente, você apenas tem as pessoas imediatamente em torno de você e isso é tudo o que você pode saber para ser verdade… então isso é realmente uma grande coisa que vamos explorar.” A série já foi renovada para uma segunda temporada, que consistem em 13 episódios.

Embora possa soar como um desafio de estar em duas series que se passam em cidades separadas (The 100 se passa em Vancouver enquanto FTWD em Los Angeles), a atriz não está se sentindo ruim para o desgaste. “Felizmente, fomos capazes de trabalhar com dois blocos de horários de gravação por isso tem sido bom para mim, não foi muito louco.” Ela também admitiu apenas estar feliz em ter sido freqüentemente empregada. “Eu tenho trabalhado todo este ano e uma grande parte tem sido em Vancouver, e eu não esperava estar gastando tanto tempo naquela cidade, mas é uma bela cidade.”

E, voltando para The 100, sobre detalhes de quando exatamente Lexa fará sua aparência (os produtores já disseram “antecipados” na terceira temporada) e como ela pode interagir com Clarke estão a sete chaves, Alycia brincou: “Ela tem uma boa entrada de cada vez. Ela tem uma boa revelação… ela faz isso com estilo.”

Fear The Walking Dead estreia dia 23 de Agosto na AMC, e The 100 volta com a terceira temporada no inicio de 2016 na CW.

Tradução e adaptação ADCBR